Compartilhe:

Dom Moacir: "Qual é a festa de Natal que agrada a Deus?"

Imagem retirada de: http://arquidioceserp.org.br/admin/admin/uploads/imagens/banner-fundo/11095.jpg

O arcebispo dom Moacir Silva presidiu a Missa da noite de Natal, 24 de dezembro de 2018, na Catedral Metropolitana de São Sebastião, em Ribeirão Preto (SP). Concelebrou o pároco padre Francisco Jaber Zanardo Moussa, e serviu nas funções litúrgicas o diácono João Paulo Tarlá Júnior.

A tradicional missa da noite de Natal (Missa do Galo) traz na liturgia o anúncio solene do nascimento de Jesus. Após os ritos iniciais e antes da entoação do Glória, o diácono João Paulo fez a “Proclamação do Natal” ao recitar em estilo gregoriano o cântico Calendas de Natal (anúncio natalino). Em seguida deu-se início a entoação do hino do glória e o arcebispo recebeu das mãos de um casal a imagem do Menino Jesus para entronizá-la na manjedoura. O arcebispo incensou o presépio, meditou alguns minutos, e depois deu continuidade ao rito da missa.

Dom Moacir, na homilia, indicou o verdadeiro sentido da celebração do Natal e convidou os fiéis a fazerem a experiência do encontro com o Menino Jesus. “Queridos irmãos e queridas irmãs, hoje nasceu o nosso Salvador. Alegremo-nos. Deixemos que a riqueza da Liturgia desta Noite Santa penetre o mais profundo de nosso ser e, assim, alimente nossa vida cristã”, expressou o arcebispo.

O arcebispo também ressaltou que o Natal manifesta a presença da salvação no meio de nós. “No Natal, a graça de Deus se manifestou trazendo a salvação para todos os homens, como nos disse São Paulo, na segunda leitura. A ‘graça de Deus que se manifestou’ em Jesus é o seu amor misericordioso, que preside a inteira história da salvação e a guia em direção à sua realização definitiva. A revelação de Deus na humildade da natureza humana constitui a antecipação, na terra, da sua manifestação gloriosa no fim dos tempos”, frisou dom Moacir.

Ao refletir a Palavra de Deus do Evangelho (Lc 2, 1-14), o arcebispo ressaltou a simplicidade e a pobreza como expressão afável do nascimento de Jesus, e a preocupação e amor de Deus pelos homens. “No Evangelho, São Lucas descreve com algum pormenor a pobreza e a simplicidade que rodeiam a vinda ao mundo do Salvador dos homens: a falta de lugar na hospedaria, a manjedoura dos animais servindo de berço, os panos improvisados que envolvem o recém-nascido, a visita dos pastores, Os pastores são os primeiros destinatários da notícia que toda a humanidade esperava: ‘Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor’. São eles pessoas pobres, simples e consideradas pessoas marginalizadas”, explicou dom Moacir.

E, ao concluir a homilia, o arcebispo deixou aos fiéis a meditação sobre qual o real sentido da festa de natal. “Agora podemos perguntar: Qual é a festa de Natal que agrada a Deus? Para descobrir os gostos de Deus, precisamos olhar como foi o primeiro Natal. Foi um Natal cheio de surpresas, obrigando Maria e José a ajustarem as suas vidas; mas a maior das surpresas aparece na noite de Natal: o Filho do Altíssimo é um bebê; o Verbo de Deus, a Palavra divina é um infante, ou seja, ‘incapaz de falar’; não vieram acolher o Salvador as autoridades do tempo, mas simples pastores que guardavam os rebanhos de noite. Quem o teria imaginado? Mas Natal é celebrar o inédito de Deus, ou melhor, um Deus inédito, que subverte os nossos planos e expetativas. Celebrar o Natal é acolher na terra as surpresas do céu. Por fim, nossa gratidão. Obrigado, Menino de Belém, por vir partilhar conosco a Tua vida e, assim, nos tornar participantes desta vida. Ajuda-nos a viver intensamente este mistério, hoje e sempre. Amém!”

Antes da bênção final, o arcebispo dom Moacir desejou votos de um feliz e santo natal aos presentes, e extensivamente a todos os arquidiocesanos. Após a bênção, o arcebispo e concelebrantes se dirigiram à porta de entrada da Catedral para cumprimentar e desejar Feliz Natal aos fiéis.

Ceia de Natal – Pelo terceiro ano consecutivo a Catedral Metropolitana realizou a Ceia de Natal para as pessoas em situação de rua. Neste ano a ceia ocorreu no domingo, 23 de dezembro, no Centro Social Dom Arnaldo Ribeiro e foram servidas aproximadamente 300 refeições, que são resultado das doações de alimentos, do trabalho dos agentes de pastoral e de voluntários, apoiados e incentivados pelo pároco padre Francisco. O arcebispo Dom Moacir presidiu a oração e participou juntamente com o padre Francisco da Ceia, na acolhida fraterna, no ouvir, no diálogo com as pessoas em situação de rua, sinais perceptíveis das periferias existenciais de nossa sociedade. A Catedral Metropolitana de São Sebastião agradece a todos que colaboraram para a realização desta fraterna confraternização na Noite de Natal!  

 

Fonte: Arquidiocese de Ribeirão Preto