Depois da Morte

Imagem: www.aascj.org.br

O homem, logo após a morte, enquanto o seu corpo é levado para o enterro, se encontra diante de Deus onde será julgado. O julgamento se baseará nas obras, boas ou más, praticadas em vida. O pecador que se arrepende antes de morrer recebe o perdão de suas obras más. Após o julgamento, se a pessoa estiver isenta de todo o pecado, perfeitamente purificada, irá para o céu, em companhia de Deus, dos anjos, dos santos e de uma felicidade completa. Não sentirá dor nem sofrimento, não sentirá falta de nada e terá tudo o que deseja. Se ao morrer a pessoa não estiver purificada de todo, irá para o purgatório, onde pela dor e sofrimento será purificada e santificada; depois irá para o céu.  Se, em vida, a pessoa praticou o mal, transgrediu os mandamentos, ofendeu a Deus e aos irmãos e não se arrependeu, mas morreu rejeitando a Deus, não poderá viver em companhia de Deus, mas separada dele. Será como um filho que por sua própria culpa está separado do pai, da mãe e dos irmão, sem amizade, sem apoio de ninguém, sem descanso, sem sossego, abandonado, desesperado. A este estado de alma nós chamamos de inferno. Muitos dizem: “Deus é tão bom que seria incapaz de mandar alguém para o inferno”. Certo. Deus, até, faz todo o possível para que ninguém vá para o inferno. O que vão para o inferno vão por própria conta, contra a vontade de Deus e dos Santos. São comparados a um filho que sofre tristezas e abandono porque fugiu de casa contra a vontade dos pais e dos irmãos. A reencarnação é uma teoria admitida pelo espiritismo e por todas as religiões agro-brasileiras. A reencarnação contraria os ensinamentos de Cristo e não tem fundamento nem científico nem religioso.