Compartilhe:

Arcebispo afirma que a Eucaristia é dom que exige responsabilidade

Imagem retirada de http://arquidioceserp.org.br/noticias?id=10161

O arcebispo metropolitano de Ribeirão Preto, dom Moacir Silva, presidiu a Eucaristia na solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi), 31 de maio de 2018, às 17h30, na Catedral Metropolitana de São Sebastião. A Catedral ficou lotada com a presença de ao menos 2 mil fiéis. Concelebraram os padres: Francisco Jaber Zanardo Moussa (pároco); Antônio Élcio de Souza (mestre de cerimônias); e serviu nas funções litúrgicas o diácono João Paulo Tarlá Júnior.

Na homilia, o arcebispo dom Moacir Silva, exaltou o sentido da instituição da Eucaristia narrado no Evangelho. “No Evangelho, instituindo a Eucaristia, Jesus disse: ‘Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos’. Corpo entregue e sangue derramado: eis aí o Dom de Cristo feito a nós, na Eucaristia. O corpo e o sangue separados no altar, sob as espécies do pão e do vinho significam o Dom total da Vida de Cristo pelos homens. ‘Sua carne imolada por nós, é o alimento que nos fortalece. Seu sangue por nós derramado, é a bebida que nos purifica’ (Prefácio)”, disse dom Moacir.

E, continuou o arcebispo, acentuando o verdadeiro sentido do mistério pascal e da Eucaristia: “Para entender a Eucaristia é preciso entender quem é Jesus Cristo. A Eucaristia é Jesus, sua pessoa, sua vida, seu corpo e sangue entregues, por nós. Na Eucaristia estão contidas toda a vida e missão de Jesus. A Eucaristia é manifestação de Cristo: é Cristo e fala de Cristo: ‘Eu sou o pão da vida’. A Eucaristia é o memorial da auto-doação e da auto-entrega, total e irrestrita, do seu corpo e sangue por nós. ‘Isto é o meu corpo doado por vós e o meu sangue derramado por vós’. A Eucaristia é o admirável sacramento, como rezamos na oração do dia desta missa. Por que admirável? Porque enquanto os outros sacramentos produzem a graça no momento em que são convenientemente recebidos, a Eucaristia contém o Autor da mesma graça, que se deixa imolar pelas mãos dos sacerdotes, sob os elementos visíveis do pão e do vinho. A Eucaristia é o pão e vinho transubstanciados no Corpo e no Sangue de Jesus. Pão e vinho são a imagem da morte e da ressurreição de Jesus, o trigo caído na terra e a videira podada: o pão corresponde ao sentimento de fome e o vinho ao sentimento de sede. A Eucaristia é o gesto mais sublime da solicitude, da estimulação e da imperiosa caridade de Jesus por nós: ‘Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim’”, expressou dom Moacir.

Dom Moacir, ainda, alertou os fiéis a respeito do testemunho de vida eucarística e explicou o que significa comungar. “Quem participa da comunhão se compromete diante de toda comunidade a transformar a própria vida como a de Cristo, promete uma disponibilidade em benefício dos irmãos. Para comungar com fé não é suficiente acreditar que Jesus está realmente na Eucaristia. Não se trata de exercitar-se em raciocínios, mas de tomar decisões que conduzam na prática a vivenciar as atitudes de amor e de fidelidade de Cristo. A Eucaristia é Dom que exige responsabilidade; responsabilidade de partilhar, com os outros, os dons que cada um tem; a responsabilidade de fazer de si um dom para o bem dos outros (em casa, na família, no trabalho, na escola, enfim, onde estivermos). Comungando o Cristo no sacramento da Eucaristia, nos tornamos pessoas eucarísticas. Na Eucaristia, realiza-se o sonho de todo ser humano, a felicidade e a liberdade, que consistem em servir ao próximo, do mesmo modo como Jesus. Na oferta de sua vida, no seu sacrifício, experimentamos o amor do Senhor por cada ser humano”, explicou o arcebispo.

E, ao concluir a homilia, dom Moacir falou: “Peçamos a Nosso Senhor a graça de compreender, cada vez mais, as lições, as exigências, e os apelos que a Eucaristia nos faz. Que o Cristo Jesus, nos ajude a vivermos melhor a nossa comunhão eucarística, hoje e sempre. Amém!”

Procissão - Após a Eucaristia, o arcebispo dom Moacir, os padres concelebrantes, e os fiéis saíram em procissão pelas ruas do centro de Ribeirão Preto. O Santíssimo Sacramento conduzido pelo arcebispo, em revezamento com os padres concelebrantes, era seguido pelos fiéis com cânticos e louvores de adoração. Terminada a procissão, os fiéis adentraram a Catedral, e o arcebispo dom Moacir Silva, após as orações, deu a bênção solene do Santíssimo Sacramento.

fonte: Arquidiocese de Ribeirão Preto