A caminho da Verdadeira Páscoa de Jesus Cristo | Mensagem do mês de Março

A caminho da Verdadeira Páscoa de Jesus Cristo | Mensagem do mês de Março

Caríssimos paroquianos

A caminho da Verdadeira Páscoa de Jesus Cristo

Vivendo o tempo da quaresma, estamos nos preparando com maior profundidade para celebrarmos a maior festa do Cristianismo, a Páscoa, que remonta ao antigo testamento, a libertação do povo de Israel do Egito, onde a cada ano o povo hebreu celebrava a memória da passagem da escravidão para a liberdade, em busca da terra prometida. Deus escolheu Moisés para ser seu instrumento de libertação justamente porque Moisés havia sido criado pela filha do Faraó, e embora conhecesse a realidade do Egito, nunca perdera sua origem. Deus disse: “Moisés eu ouvi o clamor do meu povo”.

Sabemos que a libertação não aconteceu num passe de mágica e sim num trabalho de convencimento do povo hebreu da necessidade de ter coragem de romper com aquela estrutura de opressão, que levava as pessoas aos trabalhos pesados e forçados em troca de falsas promessas.

Moisés deve ter usado de paciência e determinação para trabalhar discretamente essa situação. Assim, com a força do Deus Altíssimo conseguiu libertar e começar uma longa caminhada até a terra prometida. Embora não fosse tão longe geograficamente, demoraram quarenta anos, tanto que Moisés não conseguiu chegar. Somente avistou-a de longe, no monte Nebo, localizado hoje na região da Jordânia.

Josué ocupou o lugar de Moisés e então puderam pisar na terra prometida por Deus.

A nossa vida é uma constante caminhada rumo à eternidade. Nem sempre é fácil chegar porque os obstáculos são muitos, exigindo de nós renúncias e abertura de coração para acolher a vontade de Deus, assumindo a cruz de cada dia.

Jesus nos convida a seguir seus passos porque não existe glória sem cruz, calvário, dor, humilhação, rejeição e morte. Não porque Deus queira o sofrimento da humanidade, mas porque seu projeto de vida para nós é exigente, porque somos convidados a andar na contra mão do mundo e, logo, não somos aceitos em todos os segmentos da sociedade. Jesus prega a vida em abundância, a igualdade, a justiça, o amor e a paz. Mesmo assim, muitos não querem mudar suas estruturas de comodidade e abrir mão de seus privilégios à custa de tantas pessoas inocentes e empobrecidas da sociedade.

Portanto, nesta caminhada rumo à Páscoa de Jesus precisamos abraçar Jesus Crucificado e abandonado por amor a todos nós. Isso leva a cada um de nós a superarmos todo tipo de violência que começa a ser alimentado dentro do ser humano, que perde a noção de que somos todos irmãos.

Aproveitemos esse tempo favorável que Deus nos concede para uma profunda conversão que é fonte de reconciliação com Deus, conosco mesmo e com o próximo. Quando ouvimos a voz do Filho Amado de Deus nossa vida ganha um novo vigor para recomeçarmos e sempre nos levantarmos de nossas quedas causadas pelo pecado da desobediência, quando achamos que não precisamos ouvir a Deus através de Sua Igreja. Um filho obediente a seus pais com certeza erra muito menos e acerta muito mais.

Enfim, dentro deste tempo quaresmal rumo à Páscoa de Jesus, vamos celebrar também a festa do Glorioso São José, esposo de Maria e pai adotivo de Jesus. Homem justo e trabalhador, guardião da Sagrada Família e da Igreja.

Que a Comunidade São José possa celebrar a festividade de seu padroeiro com a sobriedade e a dignidade de que São José merece, rezando pela Igreja, pelas famílias, pelos trabalhadores, e de maneira especial, pelos desempregados, principalmente neste ano do laicato, para que todos sejam “sal e luz no meio do mundo” levando com seriedade o Sacramento do Batismo e do Santo Crisma em suas vidas.

 

Com carinho e minha benção sacerdotal

Padre Ivonei Adriani Burtia