Compartilhe:

Rezar pelas vocações na Semana de Oração pelas Vocações

Imagem retirada de http://arquidioceserp.org.br/noticias?id=12249

Chegado o quarto Domingo da Páscoa, comumente chamado de Domingo do Bom Pastor, temos a possibilidade de celebrarmos o 57° Dia Mundial de Oração pelas Vocações. Ocasião, anual que nos recorda o conselho do Mestre de suplicarmos constantemente ao Dono da Messe, que não deixe faltar trabalhadores à sua colheita.

Nossa oração, sincera e constante, caracterizará sempre nossa melhor forma de nos envolvermos no mistério profundo do Deus - Amor, que nos permite participar da sua obra de salvação, chamando-nos pelo nome. Pela via da oração, temos a possibilidade de silenciarmos os ruídos externos e interno, dando eco à voz do Supremo Pastor, decifrando seu doce convite.

A cada ano, por ocasião do Dia Mundial de Oração pelas Vocações, o Santo Padre dirige uma mensagem a toda a Igreja, chamando os seus filhos a refletirem o imenso Dom que Deus nos permite experimentar, convidando-nos ao seu serviço. Para este ano, o Papa Francisco nos chama a pensar nossa resposta vocacional de discípulos e discípulas, a partir de três palavras: tribulação, gratidão, coragem e louvor.

Iluminados pela Palavra do Evangelho de Mateus, 14, 22-33, quando Jesus manda os seus para a outra margem do mar da Galileia, não obstante os riscos, a escuridão e o agito das ondas, faz-nos pensar nos momentos de TRIBULAÇÃO de nossa vida. Escreve-nos o papa: “Assim acontece também no coração dos discípulos, que, chamados a seguir o Mestre de Nazaré, têm de se decidir a passar à outra margem, optando corajosamente por abandonar as próprias seguranças e seguir os passos do Senhor. Esta aventura não é tranquila: cai a noite, sopra o vento contrário, o barco é sacudido pelas ondas, e há o risco de sobrepor-se o medo de falhar e não estar à altura da vocação”.

Mesmo que se agitem as ondas e por vezes nos tornemos cegos em nossa trajetória, Ele permanece conosco; vem ao nosso encontro andando sobre as ondas para nos estender a mão, sustentando-nos na tribulação. Só podemos responde a Ele com a nossa GRATIDÃO. Primeiro por nos confiar à nossa fraqueza, um imenso dom, depois por nos sustentar quando descobrimos nossa fraqueza e incapacidade de prosseguirmos sozinhos.

“O Senhor sabe que uma opção fundamental de vida – como casar-se ou consagrar-se de forma especial ao seu serviço – exige CORAGEM (grifo meu). Ele conhece os interrogativos, as dúvidas e as dificuldades que agitam o barco do nosso coração e, por isso, nos tranquiliza: «Não tenhas medo! Eu estou contigo». A fé na presença d’Ele que vem ao nosso encontro e nos acompanha, mesmo quando o mar está revolto, liberta-nos daquela acedia que podemos definir uma «tristeza adocicada» (Carta aos Presbíteros, 4/VIII/2019), isto é, aquele desânimo interior que nos bloqueia impedindo-nos de saborear a beleza da vocação”. Permanecendo com Jesus, saberemos dissipar os fantasmas que insistem nos perturbar, e assim nos mantermos fieis ao propósito que nos têm.

Com isso, nossa vida se abre e ecoa num sublime LOUVOR, tal qual o exemplo que temos da Bem Aventurada Virgem Maria que, ao saber que o Senhor a havia escolhido para uma missão, ainda que não se sentisse merecedora ou capaz, estendeu as mãos para que Deus a tocasse, revestindo-se da Sua Sombra; venceu o medo e a incerteza, e foi capaz de rezar, dizendo: Minha alma magnifica e canta de alegria no Senhor: “Ela fez da sua vida um cântico eterno de louvor ao Senhor”.

Nesta semana que ora iniciamos e que nos convida a rezar por todos os vocacionados, para que respondam com generosidade a Deus, acompanhemos a programação proposta pelo SAV / PV de nossa Arquidiocese e, ainda que unidos virtualmente, ofertemos ao Divino Agricultor nossa oração, para que mantenha sempre verde, sua seara.

Enviai, Senhor, generosos trabalhadores para a vossa vinha! Amém.

fonte: Arquidiocese de Ribeirão Preto, escrita pelo Pe. Alexandre Canella Sanches (Serviço de Animação Vocacional)